Postado por Leo Mesquita on quinta-feira, julho 22, 2010
Marcadores: , ,

Falei muito pouco sobre a prova em si e tudo o que ocorreu durante a minha estada no Rio de Janeiro no final de semana passado. Assim, me permitam, darei algumas pinceladas rápidas sobre diversos assuntos.

Viagem de ida e volta: fui de ônibus. BH fica a 450 km do Rio. Estrada mal conservada, nada novo. Dormi muito pouco. Mas isto ai não me altera em nada. Viação Cometa, ônibus mal conservados. Nada como planejar tudo de forma bastante antecipada e viajar de avião.

Hospedagem: Fiquei no Hotel Argentina. Ponto positivo: cozinha do hotel. Fiz dois almoços lá. Espetaculares. O de domingo então, maravilhoso. O quarto era apenas suficiente. Toalhas bastante surradas. Se fosse pra ir com a minha família estaria reclamando. Mas para uma viagem rápida e sem os filhos está de bom tamanho. Não há outro hotel mais próximo da chagada do que este. Assim, no ano que vem ficarei no mesmo hotel.

Feira da Maratona: Muito boa, não comprei nada. Fiquei lá umas 3 horas no sábado pela manhã. Estava bem cheia e animada. Encontrei diversas pessoas de todo o Brasil, muitos de BH. A retirada do kit foi pra mim bem tranquila, mas quem chegou por volta das 10 horas da manhã pegou grandes filas. O meu companheiro de viagem pegou o kit após a 4 horas da tarde. Não tinha fila neste horário.

Transporte para a largada: perfeito. Feito em ônibus de transporte público coletivo. O ônibus só saia quando todos os lugares estavam ocupados. Todos iam sentados. Durante o trajeto do Aterro do Flamengo até o Pontal do Tim Maia ia dando um frio na barriga. Longe demais! E ia ter de voltar tudo aquilo correndo!

Estrutura na largada: ideal! Nem mais nem menos do que o necessário. Estava muito frio e com muito vento. Porém, se esta maratona crescer vai ter problema no futuro. Local pequeno com ruas estreitas. Por enquanto acomoda tudo com perfeição.

A prova: nota 10! Muito bem sinalizada. Transito fechado na medida ideal. As poças de água provocadas pela chuva não podem ser consideradas obstáculos. Dava para subir na calçada e correr por lá. Nunca reclamo de situações provocadas por fenômenos da natureza. Não dá pra controlá-los!

O percurso: Realmente são duas corridas. Uma vai do Pontal do Tim Maia até o Leblon. E outra do Leblon até o Aterro do Flamengo. Na segunda parte temos a companhia do público. Muitas pessoas nas ruas, incentivo constante. Valeu cada passada.

A chegada: indescritível! É uma emoção que ainda quero passar por muitas vezes na minha vida. Fiquei meio perdido até encontrar onde estavam os ônibus com o guarda volumes da maratona. Este foi um ponto negativo. Bacana eram as pessoas nos ajudando a retirar o chip do tênis. Realmente é impossível agachar para retirar o chip após correr a maratona. E se baixar não levanta novamente. Ponto positivo este ai.

Balanço final: dou nota 9 para o conjunto da obra. Realmente se o tempo estivesse aberto talvez seria melhor para curtir o visual, mas por outro lado iria colocar novo grau de dificuldade à prova. Assim, fico com o tempo encoberto mesmo.

Que venham novos desafios!

4 comentários:

Kleber RG disse...

Muito legal seu “resumo” sobre o evento, Léo!

Achei curioso o fato de passar pelo percurso, primeiramente, de ônibus... Realmente deve dar uma sensação de que não vai conseguir percorrer tooooodo aquele trajeto correndo, né... Interessante.

Abraço.
Kleber RG

Jorge disse...

Grande Léo muito boa a sua opinião sobre a sua vinda aqui no Rio para a Maratona...
Quanto a viajar de ônibus para cá, sugiro que na próxima vez vc venha e vá de avião que é mais rápido, agora pela internet se vc programar antecipadamente vc pode comprar passagem de avião mais barata e inclusive até mais barata do que o ônibus.
Quanto a feira eu cheguei lá quase 1O horas e quase não tinha fila sai de lá por volta das 13:30 horas, depois das 10 ai sim encheu pacas, mais não é culpa da organização pois eles distribuiram o kit na quinta, sexta e sábado o problema de sábado é que muitos corredores vem de fora do Rio, pq só podem vir de sexta para o sábado pq trabalham dai já viu né, pois já corri a pampulha 4 vezes e em 2008, quando fui pegar o kit, num clube que agora não sei o nome, mais fica a pouco metros da largada, tinha bastante fila, quanto ao percurso maravilhoso, mais eu preferia o sol que eu rendo melhor, pois a única coisa que atrapalhou para muitos foi o vento que estava ventando muito forte contra e com isso nós gastamos mais energias e dai no final já viu né, outra coisa que vc falou sobre as poças dagua, realmente tinha muitas poças na barra eu inclusive até pisei em algumas, mais quando chegou nas grandes eu preferia ir para a ciclovia e tivemos que dividir o espaço com as bike, daí vc perde um pouco a concentração e um pouco de velocidade né, quanto a chegada realmente é indescritível, quanto ao guarda volumes eu depois que peguei a medalha e o lanche vi os onibus só que fui em direção a do guarda volumes para quem fez a meia e dai já ia pedir a minha bolsa quando vi a numeração no onibus de cor verde, dai deduzir que minha bolsa não estava lá e por sorte olhei para o lado e vi que o ônibus do guarda volumes da maratona estava do outro lado daí dei sorte, mais bem que poderia ter alguém indicando né...No mais foi perfeita a MARATONA pois foi nela que estreei em MARATONAS em 2003, já tenho no curriculo 8 Maratonas do Rio...Mais valeu Parabéns camarada e espero que ano que vem vc volte...
Talvez esse ano eu volte a correr a Pampulha de novo, não estã nada certo o quartel nos prometeu avião, se tiver com certeza estaremos ae em BH.

Boa semana e bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Sergio Melo disse...

Léo,
bons comentários. Eu mandei um email à Spiridon, para ver se eles podem melhorar algumas coisas. Mas no geral daria uma nota 9 para a prova. Cara, você virou meu ídolo, estreando em uma maratona com um tempo desses. Ano que vem pretendo ir para a meia e aí em 2011 tento seguir teus passos.
abraço,
Sergio Melo
corredorfeliz.blogspot.com

Sergio Melo disse...

ops, 2012

Search