Postado por Leo Mesquita on sexta-feira, outubro 12, 2012
Marcadores: ,

Correr contra o vento não é uma das coisas mais agradáveis que existem na corrida de rua. A gente faz mais esforço do que o necessário, o ritmo de corrida reduz.
Para superar o vento contra, uma das primeiras coisas que fazemos é inclinar o corpo pra frente flexionando a coluna, o que prejudica a entrada de oxigênio no corpo. Baixamos a cabeça o que prejudica a visão do que está em nossa frente.
Mas o pior mesmo é o lado psicológico. E um fato interessante acontece qundo temos um ponto de retorno a nossa frente. Fazemos uma força danada contra o vento só imaginando que ao fazer o retorno o vento se tornará nosso aliado. O som do vento em nossos ouvidos é a melhor forma de identificar que estão jogando contra a gente. O universo jogou os dados e conspira contra a nossa corrida. O ponto de  retorno torna-se um objeto do desejo. 
Finalmente ele chega. Passamos a correr em sentido contrário. E de repente o vento pára. Pelo menos não escutamos mais o seu som em nossos ouvidos. Todos os palavrões do mundo passam em nossa mente e até alguns são pronunciados! Mas como é que pode? Foi só fazer o retorno que o vento parou?
Não é bem assim. Na verdade ele está ali, assim como estava antes. Está sim agora soprando em nossas costas, apenas não o ouvimos mais por uma questão de física. Uma questão de vetores de força! Não se assuste que a explicação é simples.
Quando corríamos com o vento contra, digamos que íamos ao encontro dele numa certa velocidade e ele venha contra a gente em outra velocidade. Como resultado disso, em nosso ouvido soprava um vento numa velocidade que seria a soma da nossa velocidade e da velocidade do vento. E assim o ruído fica bem alto. Bastante perceptível.
Após o ponto de retorno no trajeto, o vento passa a soprar nas nossas costas, nos empurrando sim para frente, fazendo a mesma força que fazia antes. Só que para os nossos ouvidos, o vento agora sopra numa velocidade que é a diferença, a subtração, entre a nossa velocidade e a velocidade do vento. Afinal agora estamos, nós e o vento, indo na mesma direção. Ou seja, ficará bem mais suave e assim não será tão audível quanto antes.
Portanto após fazer o retorno, não se irrite desnecessariamente, foco na corrida!

3 comentários:

ivana. disse...

Hoje de manhã corri contra o vento, também, em alguns trechos ... Baita força temos que fazer. Meu carinho e bons treinos.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Search